Pretérito mais que imperfeito!

16/11/2009



Esse amor não era poesia
Que te enfeitava
Que te arrumava
Que te envaidecia


Esse amor não era passageiro
Viajante, clandestino, nômade
Que te bebia, te lambuzava
E logo mais te abandonava


Esse amor nunca foi teu
Nunca foi meu
Nunca foi nosso
Nunca foi de ninguém

Esse amor não era pretensioso
Ele veio em sua forma mais simples
Era pra ser ‘um + um’
Mas tudo que existiu, fora um sem ninguém

Esse amor nunca foi em vão
Esse amor se desfez em meio a solidão
Tornou-se apenas mais um coração destruído pelo chão
Ele não é nada mais, além de uma prisão!



[ Por Lorena Pereira ]

Rosa!

04/11/2009



Se eu pudesse camuflar minhas fraquezas

Sabe o que eu faria?

Pintaria uma rosa bem colorida

E com ela fugiria



Em cada tom de cor, lhe emprestaria pequenas verdades

Nas quais a gente se agarraria

Pra poder libertar da nossa mente

Enormes mentiras que vivemos juntos um dia




Em nome de todo sentimento bom que existir

Vou pedir para o coração deixar-te partir

E rezar pra que encontre um lindo colibri


Que ele possa te completar, como jamais consegui

E te faça a rosa mais linda de todo jardim

E que eu possa compreender que tudo pra nós, já tivera seu: fim!



[ Por Lorena Pereira ]

Soneto do nós sem mim! Parte III de III

30/09/2009



III



Um amanhã cintilante começa a ser escrito

Emoções transparentes são o que respiro

É o que busco no outro

Eis o mínimo e o máximo que o outro pode encontrar em mim


Meus olhos buscam um horizonte onde seja possível sorrir

Onde não haja tanto pudor em ser aquilo que se é

Onde sejam perdoados pequenos vícios

E onde sejam exaltadas as virtudes


Sei que a estrada está apenas começando

Mas sei também que preciso antes de qualquer coisa, crer em mim

Acreditar naquilo que quero e também no que deixei de querer


Eu posso ouvir a bonança a caminho

Dizendo que no meu mundo, felizmente

Você já não cabe mais!



[ Por Lorena Pereira ]

Soneto do nós sem mim! Parte II de III

31/08/2009



II



Agora meus amores são efêmeros

Transcendem em frações de centésimos e se perdem noutras de segundos

Sujeito a dias de brisa serena

Sem abandonar sua inquietude em dias tempestuosos


Tuas palavras me soam vulgares, não mais me enfeitiçam

Tudo relacionado direta ou indiretamente a você tornou-se previsível

Para tudo há uma predisposição...

...como a de não mais querer te dar o meu amor


O que almejo pra mim agora tem dimensões do tamanho do infinito

Aprendi que não se deve implorar por migalhas de sentimentos

Que muitas vezes não valem à pena


Hoje sou grata pelas cicatrizes que ficaram

Feridas abertas e cortes expostos

Sou eternamente agradecida pela lição aprendida



[ Por Lorena Pereira ]




Soneto do nós sem mim! - Parte I de III

06/08/2009



I


Eu olhava para todas as coisas ao meu redor e sentia uma paz incomum

Sentia o cheiro do dia, das cores, e me alegrava em todas as estações

Pois pouco importava se lá fora fazia: frio ou calor, sol ou chuva

Internamente era tudo muito terno.


Em meu coração eu reguei dia após dia o nosso amor

Você estava seguro lá dentro

Entrava ano e saia ano

Durante muito tempo nosso amor foi uma constante.


Até que me vi inundada em meio a mágoas, e afogando o meu amor junto

Todo o céu havia caído sobre minha cabeça

Tudo que eu tinha como ‘certo’, vi me escapar por entre os dedos.


Naquele dia você havia ido embora, sem se preocupar em dizer ‘adeus’.

Naquele dia você havia me transformado em uma tatuagem preta

Naquele dia você sentenciou todo e qualquer hoje!



[ Por Lorena Pereira ]

Reflexão!

09/07/2009



Sinto-me de certa forma sufocado com a presença constante da fraqueza que há dentro de mim.

Ela me domina de todas as maneiras e em todos os lugares onde eu possa estar.
Ela é onipresente, e ao mesmo tempo égide.
Fazendo com que a minha pessoa diante do seu imenso poder de destruição interior,
torne-me um ser frívolo.

Sinto-me também dominado por um efusivo sentimento de poder, sede e vontade de destruição. Destruição essa, não se sabe do quê e muito menos de quem.
Pode ser que seja uma vontade imensa de destruir à mim mesmo e tentar refazer ma vida errante,
vista dessa forma por mim até então.

Uma vida que não vê uma nova dimensão em nada
Uma vida que tem sede de nada
Uma vida que não consegue ambicionar novos horizontes
Uma vida que no decorrer do tempo se mostrou prisioneira do destino e temerosa à visão do novo.

Paremos então pra pensar agora no nexo que pode haver entre esses dois sentimentos.

Fraqueza de certa forma gera raiva
A raiva por sua vez produz a sede de vingança que é irmã da destruição.
Agora perguntemos:

- Destruir ou se vingar de quem?!

Do dom da vida que lhe foi dado pelo grandioso Pai da Misericórdia, e concebida pelo poder divino das forças maiores e espirituais das quais você sempre poderá contar para obter a purificação da sua alma?!
Ou será uma incontrolável vontade de destruir o dono de uma força negativa e prejudicial, que fez de você um habitat seguro para exercer sua malevolência quando você mesmo havia se mostrado aberto para receber em seu corpo espíritos negregados?!

Faça você mesmo o seu próprio julgamento
Reflita sobre o que lhe foi mostrado
Não se guie pela cabeça de terceiros
E lembre-se de que:
É a sua cabeça que está refletindo nas lâminas da guilhotina!


[ Por Lorena Pereira ]

Faces do pecado!

27/06/2009



O mundo no qual vivemos hoje está dominado pelas várias faces do pecado.

Pecado não se diz só daqueles que o Senhor nos deixou por escrito, mas também daquelas visões erradas ou infaustas que fazemos das mais bobas situações.


O pecado nos deixa desnorteados totalmente insanos diante da tua bela face.

No começo o pecado é bom, nos faz leve

Deixa-nos inocentes como um bebê

Durante sua execução pode nos levar ao maior grau de satisfação

E por fim nos rouba a consciência levando-nos a loucura.


Pecado, pecador, doce ato de pecar, já que és tão bom

Diga-me:


- Por que sempre nos castiga ao final de tudo?

- Por que nos atraí de tal forma que mal possamos reagir e ao acerto de contas final deixa-nos trêmulos?

- Se o ato de pecar fosse proibido e extinto do mundo moderno, como atingiríamos o prazer que ele nos dá?

- Será que existe o ato de pecar, sem que este seja tratado com tanto pesar?


Todos os meros mortais pecam

Sendo assim, vivemos no enorme conto da criação:


Adão e Eva!



[ Por Lorena Pereira ]



Memórias!

19/05/2009



Escolhi guardar de ti as melhores lembranças possíveis
Preferi colher de nós, tudo aquilo a que de melhor nos doamos
Optei levar sempre comigo........você!

Se me perguntar, como está meu coração hoje?
- Vazio!!! ( E permanecerá assim por tempo indeterminado )
Se me perguntar, como estou?
- Bem!!! ( Essa é a pior mentira a qual me designo )
Se me perguntar, como tenho passado?
- Bem também!!! ( Mais uma mentira )

E por favor não acredite em minhas besteiras
Não tente fazer de conta que também não sabe como tenho passado
Pois é claro pro mundo, que eu fui com você
O que de hoje não restam nem mais memórias

Dias de glória e dias de angústia!
Por saber que estais com um outro alguém que nem sequer te ama metade do que um dia amei.
Do que talvez “um dia” eu supere.
Mas não hoje, não agora, simplesmente não posso!

Ao mesmo tempo que essas coisas me levam a chorar de tristeza.
Também me trazem um enorme bem.
Aquele sorriso bobo do qual sempre costumávamos ser vítimas!
Recorda-te?
Ele me vem à face!

E me transforma como em um passe de mágica!!!


[ Por Lorena Pereira ]

Caixinha de pandora!

23/04/2009


Por fora, é apenas uma dentre muitas outras

Trás agarrado em si um cadeado, trancado a sete chaves

Uma volta, duas, três, e tantas outras

Pra preservar um pequeno grande segredo


Pequena por fora...

...e enorme por dentro.

Berço de sonhos do passado, do presente, do futuro

Dessa vida e talvez até de outras.


Inerte aos olhos

Em constante movimento aos nossos corações


Um bilhetinho com palavras doces, escrito às pressas

Alguns rabiscos que traduziram seus sentimentos

Um anel com teu nome gravado nele

Que tudo um dia significara pra mim.


Há vezes em que até das lágrimas derramadas, sinto nostalgia

E penso que felizes, são os que um dia amaram...

Se eles foram correspondidos ou não, pouco importa!

... eis que estes têm uma história pra contar.


E que assim seja:

... hoje, amanhã e sempre!


Tão minha, quanto sua.

Tão sua, quanto minha.



[ Por Lorena Pereira ]

Bem vindo para fora da minha vida!

15/04/2009



Bem vindo...

Pegue tuas mentiras
Tuas palavras deixadas ao meio
Tuas meias atitudes
Teu sentimento pequeno.

Recolha os estilhaços espalhados pelo chão
Enxugue as lágrimas derramadas próximas ao vão da porta
As flores caídas que por lá também ficaram
Inclusive os pedaços de papel.

Aqueles, no qual você me jurava amor eterno
Onde pretendia ser tão meu, que até de si se perdeu
O mesmo, onde você me jurou um sentimento pra toda a vida
E que também às metades ficou.

Leve o que há de si
Pra que eu não me esbarre em nenhuma lembrança pela casa
Varra a poeira deixada pela sola do sapato quando estiver saindo
E bata a porta da rua, tão forte quanto às palavras duras que me dissestes!

... para fora da minha vida!



[ Por Lorena Pereira ]

Era uma vez ... um sonho!

08/04/2009



Era uma vez:


Dois corpos, duas mentes, dois ideais, duas percepções, dois lugares, duas pessoas!

Um instante em comum, e apenas uma, uma única razão pra que tudo começasse!


Era uma vez:


Dois corações apaixonados. Cada um pulsando em prol do outro!

Um sentimento. Hora egoísta, hora generoso,mas ainda sim permanente!


Era uma vez:


O passar das horas, dias, semanas, meses!

O “tic-tac” do relógio!


Era uma vez:


O tempo a favor, e o tempo contra!

O universo conspirando a favor, e outrora contra!


Era uma vez:


Duas crianças com medo, com frio, desamparadas e iludidas!

Pois elas “pensaram” ter encontrado uma na outra seu “lar doce lar”!


Era uma vez:


Um “engano” que levou tempo pra ser percebido!

Talvez até hoje ainda não tenha sido percebido ou admitido!


Era uma vez:


Amizade e afeto!

Paixão e amor!


Era uma vez:


Lágrimas e dor!

Solidão e o desfazer de um sorriso!


Era uma vez:


Um mundo com milhares, milhões, bilhões de pessoas!

E no qual desejava ter ao meu lado apenas UMA!


Era uma vez:


Uma criança que queria demais, mas não era mimada!

Uma segunda criança que queria de menos, e sim era mimada!


Era uma vez:


Uma criança que pensou nunca poder existir essa coisa de “amor”!

Uma criança que muito tinha que aprender sobre as coisas da vida!


Era uma vez:


Uma criança, pela manhã! Uma mulher, logo mais a noite!

Mas não por opção, e sim por força das circunstâncias!


Era uma vez:


Uma seqüência de dias, que pareciam intermináveis!

Em que o tempo lhe parecia não agir!


Era uma vez:


Uma sensação de vazio, jamais sentida!

Dias e mais dias de céu nublado, raios e trovões!


Era uma vez:


Um amor que por todo sempre, será meu!

Uma dor que terei de carregar até o fim dos meus dias!


Era uma vez:


“ Você e eu “ pra sempre!

“ Eu e você “ pra nunca mais!


Era uma vez:


Um sonho!!!



[ Por Lorena Pereira ]

Enferma!

27/03/2009




Era ela quem sempre me abraçava quando eu sentia medo.

Quando eu ficava doente.

Era ela quem sempre me ensinava o ‘certo’ e o ‘errado’.



O que era ‘bom’ e o que era ‘ruim’.

Era aquela mão me sempre me segurava com sutileza.

Vezes com força.

Era aqueles olhos que sempre me mostravam o que ‘fazer’ e o que ‘não fazer’.

Enfim, ela sempre foi meu rumo.


Só que, parece que agora eu me perdi desse rumo.

Ele foi para um lado, e eu fui para o outro.

É como se eu sentisse que somos duas paralelas que não se cruzam.

E que não vão mais se encontrar.


É como se eu não quisesse assumir uma verdade.

Ela se foi.

E acabou por deixar lembranças ‘boas’ e ‘ruins’

Que me rasgam a memória, e me deixam feridas expostas.


O medo tem feito de mim, seu lar.

E vem me sucumbindo, dia após dia.

É como se eu viesse me perdendo de mim mesma a cada segundo.

E ele fosse mais forte que eu, para que o pudesse derrotar.


Nunca tive tanto medo da noite, como venho tendo nesses últimos dias.

Passo o dia inteiro rindo, brincando, me distraindo.

E rezando a cada minuto corrido

Pedindo aos Céus que adie a noite.


Porque nela eu me sinto fraca, só e vazia.

Triste, vulnerável.

É quando eu sinto mais saudade daquilo que fui.

Daquilo que um dia eu sequer imaginei sentir tamanha falta.


Talvez dentre palavras meio tortas eu esteja clamando apenas por atenção.

- Hey, eu estou aqui!

Mas e se não for?

E se realmente eu precisar daquela mão que me segurava pra viver bem?


Significa que eu vá agonizar dia após dia?

Será que eu vou ser vencida pelas minhas fraquezas?


Nunca me pergunte as razões do porque!



[ Por Lorena Pereira ]

A assassina!

23/03/2009



Muito além de toda e qualquer compreensão, hoje profanos são glorificados e redimidos de todos os seus pecados.



Por não buscarem a mim pelo Amor é comum vermos nos dias atuais homens de pouca Fé se renderem à mim pela dor. Por levarem uma vida promíscua e sem a presença de uma figura religiosa, homens cada vez em maior número dão início a sua vida religiosa depois do acumulo imutável de pecados.


Você é um deles, você plantou ódio e colheu desprezo. Você durante toda sua vida só quis saber de profligar a vida das pessoas que eram obrigadas a manter um convívio mais direto com você.

O seu maior erro foi ter brincado de ser Deus e ter imaginado possuir os meus poderes para por em prática todos os pensamentos horríveis que cultivou na mente durante toda sua vida. Você não o direito de ter feito aquilo, você foi longe demais, eu dei e só eu posso tirar. Fique você sabendo que todas aquelas pessoas estão aqui agora, presentes para ver o seu julgamento.

Olhe para o retrato da família que te deu a segunda parte do dom da vida.


- Lhe parece uma família feliz?!


Pois não é.


- Sabe por que?!


Porque entre essas pessoas há uma vergonha, entre elas há um traidor.

Sua mãe lhe carregou longos 09 meses dentro dela para poder te trazer ao mundo, seu pai lhe leu histórias para dormir quando tinha insônia, sua irmã foi sua amiga e veja só a forma que você os agradeceu.


Toda sua maldade não veio de exemplos vistos em casa, ela veio da sua mente fraca. Algumas pessoas tem pensamentos horríveis, mas os seus foram fatais.


Amar a mim acima de todas as coisas, foi algo que você jamais o fez.


- A agora quer que eu interceda por você?!

- Você está diante do Portão Sagrado dos Céus, e quer saber se devo ou não deixar-lhe entrar?!


Filha, te dei amor!!

Te dei carinho!!

Te dei uma dignidade, e você a manchou com o sangue da sua própria família.

Envenenou a sua paz com atos de puro paganismo.


Por as ter deixado arder em chamas é que designo a ti a mesma sentença que eles.

Mas diferentemente deles, a quem concedi um lugar no Paraíso.

Arderá na mais perigosa chama, por ser aquela que habita as profundezas!!!



[ Por Lorena Pereira ]

Devastador!

16/03/2009



De que me servem os olhos, quando não enxergo mais nada?

De que me servem as mãos, sem poder tocá-lo?

De que me servem as vontades, e nada poder fazer com elas?

De que me servem os dias, sem ter você aqui comigo?


Um dia eu tive tudo, hoje não me resta nada mais

Um dia eu amei, hoje já não amo mais a nada

Um dia eu tive a certeza de ser amada

Hoje só me resta tudo aquilo que de mim você deixou pra trás.


Me doei incondicionalmente à nós

Vivi por você

E me matei também pelo mesmo você!


Fostes um dia a alegria do meu despertar todas as manhãs

O brilho dos meus olhos

Eis que hoje, és um dos meus maiores males!



[ Por Lorena Pereira ]

Estilhaço de gente!

10/03/2009



Encobrindo minha tristeza por debaixo de mil mantos
Estampando um sorriso amarelo
Esbanjando palavras soltas, bobas e deprimentes
Evidenciando uma falsa verdade.

Meu fardo é um pouco pesado demais para carregar em minhas costas
Eis que a mão que me segurava me abandonou
Tenho medo de acabar desistindo no meio do caminho
Mas tenho medo também de cruzar a linha de chegada, sozinha.

Faria de mim uma vencedora?
Faria de mim uma perdedora?

De que adianta o tudo e o nada em proporções iguais?

Esse sofrimento em doses cavalares, afagado...
... aos poucos vem me roubando de mim mesma
Hoje sou apenas um amontoado de cacos.
Estilhaços!


[ Por Lorena Pereira ]

Cara ou coroa!

03/03/2009



Eu me perco em horas olhando para ela

E pensando que todos nós hoje, fomos assim um dia

Dentre personalidades boas e ruins

Todos um dia trouxemos essa meiguice de ser criança

E carregamos durante muito tempo a única preocupação: em brincar

Tínhamos proteção integral, sentíamos que éramos fortes

Podíamos chorar, sem sentir mais nada, além do alívio de dor sarada a tempo

Falávamos com o coração e éramos sinceros.


Dizem que:

‘ Quem mente, antes diz a verdade! ‘

Eu penso que:

‘ O ruim de hoje, um dia foi bom! ‘

E me questiono, dentre tantas possibilidades...

... quem o fez ficar assim?


Com o coração amargo, esquecemos que estamos entre irmãos

Sem perspectivas, vivemos de migalhas da sorte


Com pouco, sonhamos com o muito

Com muito, nos tornamos muito poucos.


Contradições e controversas, nos fazem assim:

Humanos.

Ganância e mesquinhez, nos resumem a isso:

Irracionais!



[ Por Lorena Pereira ]

Sentidos!

19/02/2009



Teus olhos tem tanto a dizer
Que por não saber por onde começar
Paralisa!
Permanece em efeito estático
Sem que você saiba, acabam dizendo muito além do que as palavras lhe sugerem
Sem que você perceba, são eles sua arma mais poderosa

A boca pode muitas vezes mentir por conveniência
Dizer verdades inventadas
Machucar com sutileza
Levar a maldade sob lábios doces e avermelhados
Enganar

Teus ouvidos, interpretam as tais meias verdades
Massageia teu ego
Conforme a tua vontade
Te faz cego e mudo
Burro!

Pessoas boas também cometem erros
Não nos cabe julgar o lado certo e o errado da mesma moeda
Discerne com o coração, uma verdade, de uma mentira!
Perdoar é para poucos
E eu não me importo de enobrecer a minha alma!


[ Por Lorena Pereira ]

Só!

02/02/2009



Foi tempo demais pra ninguém sentir falta

Absolutamente ninguém

Em meio a tantos: amigos, conhecidos e familiares

É, ainda continua vazio.


Talvez assim sempre tivesse sido

Mas, não percebido

Talvez assim sempre seja

E a única saída, é depender sempre o mínimo possível!


Você precisa saber que está só, desde o nascimento

E que alguns dos vínculos afetivos criados ao longo da vida

São curtos, eles duram até você estar em uma ‘má fase’.


Ao menos serviu de alguma coisa

Serviu pra evidenciar que muitas vezes

Menos é mais!



[ Por Lorena Pereira ]

O coma!

26/01/2009



Olhe e procure entender que eu sou apenas um reflexo
De todas as escolhas que fiz no passado
De tudo que um dia eu desejei ter e não pude alcançar
Que essa não foi mais uma das minhas muitas escolhas egoístas!

Procure enxergar em mim, um coração partido
Machucado, errante e pedindo ajuda.
Pra voltar a se levantar, ser forte
E recuperar-se de um estado de coma temporário.

Terrivelmente desgastante
E sufocante!

Me estenda a mão de que tanto necessito
Não a recolha!
Dá-me só um pouquinho de atenção
Pra eu poder chorar as mágoas, num gole de café!

Joguemos conversa fora, aleatoriamente.
Falemos de tudo mais nostálgico que possa haver.
Que é pra ver se a tristeza se manda daqui.
E ruma para outra era!

Autobiografia inacabada!

15/01/2009



Olá a todos;



Prazer imenso em estar aqui vos falando.

Me chamo Lorena, 20 anos, estudante, nascida e criada na Bahia ... aspirante a “escrevinhadora”.

Julguei necessária escrever essa ‘nota’, para que todos saibam um pouco mais sobre mim, e de onde surgiu essa vontade imensa de por em palavras os mais diversos sentimentos.

Filha caçula, tímida, e de natureza tranqüila (mas não provoquem), muito cedo comecei a experimentar o gosto ‘amargo’ da vida. E o primeiro deles, foi o da perda.


Aos 10 anos, os anjos levaram meu pai pelas mãos. E naquela época, eu não conseguia entender ainda como seria nunca mais o ver novamente. O tempo passou, e com o passar dos dias, dos meses, dos anos, foi que eu pude entender que na verdade tudo se tratava de uma ausência muito maior.


Aos 14 anos, aconteceu minha primeira ‘paixonite’. Com um garoto também da mesma idade, que surgiu na minha vida pra ser alguém muito mais que especial: um anjo. Só ele sabia me entender tão bem, me aconselhar tão bem, enfim, me fazer TÃO BEM. E aquilo pra mim era confuso, pois nada parecido havia me acontecido antes. E eu me questionava: como é que você podia conhecer alguém num dia qualquer, e ter pra si a certeza de que era algo de ‘outras vidas’? Sentir que aquela pessoa te conhecia desde o dia em que nasceu? Sentir que algo divino aconteceu em nossas vidas, pra fazer com que nossos caminhos se cruzassem?


E foi aos 15 anos de idade, que transpus em palavras ... todos esses sentimentos acumulados.

Divertidos, confusos, tristes, gratos ... sem nexo.

Misturando o humano com o divino, o sagrado com o profano, o bom com o mau, a cara e a coroa de uma mesma moeda.

Muitos questionamentos foram escritos, pra que eu pudesse começar entender à mim mesma.


Aos 17 anos, aconteceu meu primeiro e avassalador amor. Sentimento onde de fato pude me descobrir: mulher.

Desencadeando uma seqüência de feitos que marcariam pra sempre a minha vida, essa curta palavra de apenas quatro letras, composta de duas vogais e duas consoantes; foi responsável por me proporcionar a experiência mais sincera, honesta, bonita e construtora que vivi até hoje.

Mas como tudo nessa vida, ele também soube machucar.

E ao longo de 2 anos e meio, me mostrou que à medida que uma pessoa te faz bem, ela também pode te fazer mal. E que é apenas uma questão de tempo pra isso acontecer.

Me amadureceu, me evidenciou uma série de ‘detalhes’ que pretendo não mais cometer com outra pessoa.

Porque muito pouco são os sinceros e de coração puro.


E foi então que o gosto pela escrita ‘aflorou’ dentro de mim, e de lá pra cá vem se firmando cada vez mais.

Espero não ter tornado a leitura cansativa.

E queria agradecer o imenso carinho que vocês tem tido com o:

http://adytaness.blogspot.com/


Forte abraço a todos!

=*****