Baralho!

07/06/10


Quando eu lhe disser de todo o meu coração, o que se passa aqui dentro
Talvez você não queira me ouvir
E se você largar da minha mão
Juro que compreendo
Pois que seja simples, calmo e terno, todo o sentimento que trago
Embrulho no meu mais bonito papel...
...e lhe contemplo, com todo meu desatino guardado ali dentro
Se uma lágrima cair ao ver que nem tudo seja tão azul assim
Por favor, entenda que nunca tive a pretensão em ser perfeito
Eu só quis fazer dos nossos momentos, tão bons como jamais o tinha feito
Mas se você decidir ainda sim correr o risco em desvendar as cartas do meu baralho
Saiba amor meu, que eu aqui dentro te receberia de muitíssimo bom grado
E tudo de mais bonito em ti, eu teria o máximo de cuidado quando fosse hora de tocá-lo!


[ Por Lorena Pereira ]

Bem-me-quer!

10/01/10




Um bem-me-quer me tirou pra dançar

Segurou minha mão firme, e disse pra não hesitar

Num vento leve que bateu, nos senti flutuar

Ainda sim tive medo, mas confiei que lágrimas não iria mais derramar


Um bem-me-quer, disse que me faria feliz

Tive medo em lhe dizer tudo aquilo que quase nunca se diz

Por felicidade, teus olhos me inspiraram tanta confiança

Que graças ao meu bom Deus pude enfim dizer, sem nenhuma desconfiança


Um bem-me-quer surgiu pra mim num dia nublado

Sem que eu percebesse, tudo ao meu redor já tinha mudado

Minha vida enfim não era mais sofrer por quem havia me humilhado

Percebi que daquela prisão meu ‘bem feitor’, havia me tirado


Um bem-me-quer, disse pra eu me olhar no espelho, e pediu que eu sorrisse

Disse que era pra eu deixar pra trás toda essa tolice

Falou que ‘sofrer por amor’, não chegava a ser burrice

E de mãos dadas com o meu bem-me-quer, enfim, abandonei toda aquela mesmice!



[ Por Lorena Pereira ]

Pretérito mais que imperfeito!

16/11/09



Esse amor não era poesia
Que te enfeitava
Que te arrumava
Que te envaidecia


Esse amor não era passageiro
Viajante, clandestino, nômade
Que te bebia, te lambuzava
E logo mais te abandonava


Esse amor nunca foi teu
Nunca foi meu
Nunca foi nosso
Nunca foi de ninguém

Esse amor não era pretensioso
Ele veio em sua forma mais simples
Era pra ser ‘um + um’
Mas tudo que existiu, fora um sem ninguém

Esse amor nunca foi em vão
Esse amor se desfez em meio a solidão
Tornou-se apenas mais um coração destruído pelo chão
Ele não é nada mais, além de uma prisão!



[ Por Lorena Pereira ]

Rosa!

04/11/09



Se eu pudesse camuflar minhas fraquezas

Sabe o que eu faria?

Pintaria uma rosa bem colorida

E com ela fugiria



Em cada tom de cor, lhe emprestaria pequenas verdades

Nas quais a gente se agarraria

Pra poder libertar da nossa mente

Enormes mentiras que vivemos juntos um dia




Em nome de todo sentimento bom que existir

Vou pedir para o coração deixar-te partir

E rezar pra que encontre um lindo colibri


Que ele possa te completar, como jamais consegui

E te faça a rosa mais linda de todo jardim

E que eu possa compreender que tudo pra nós, já tivera seu: fim!



[ Por Lorena Pereira ]

Soneto do nós sem mim! Parte III de III

30/09/09



III



Um amanhã cintilante começa a ser escrito

Emoções transparentes são o que respiro

É o que busco no outro

Eis o mínimo e o máximo que o outro pode encontrar em mim


Meus olhos buscam um horizonte onde seja possível sorrir

Onde não haja tanto pudor em ser aquilo que se é

Onde sejam perdoados pequenos vícios

E onde sejam exaltadas as virtudes


Sei que a estrada está apenas começando

Mas sei também que preciso antes de qualquer coisa, crer em mim

Acreditar naquilo que quero e também no que deixei de querer


Eu posso ouvir a bonança a caminho

Dizendo que no meu mundo, felizmente

Você já não cabe mais!



[ Por Lorena Pereira ]

Soneto do nós sem mim! Parte II de III

31/08/09



II



Agora meus amores são efêmeros

Transcendem em frações de centésimos e se perdem noutras de segundos

Sujeito a dias de brisa serena

Sem abandonar sua inquietude em dias tempestuosos


Tuas palavras me soam vulgares, não mais me enfeitiçam

Tudo relacionado direta ou indiretamente a você tornou-se previsível

Para tudo há uma predisposição...

...como a de não mais querer te dar o meu amor


O que almejo pra mim agora tem dimensões do tamanho do infinito

Aprendi que não se deve implorar por migalhas de sentimentos

Que muitas vezes não valem à pena


Hoje sou grata pelas cicatrizes que ficaram

Feridas abertas e cortes expostos

Sou eternamente agradecida pela lição aprendida



[ Por Lorena Pereira ]




Soneto do nós sem mim! - Parte I de III

06/08/09



I


Eu olhava para todas as coisas ao meu redor e sentia uma paz incomum

Sentia o cheiro do dia, das cores, e me alegrava em todas as estações

Pois pouco importava se lá fora fazia: frio ou calor, sol ou chuva

Internamente era tudo muito terno.


Em meu coração eu reguei dia após dia o nosso amor

Você estava seguro lá dentro

Entrava ano e saia ano

Durante muito tempo nosso amor foi uma constante.


Até que me vi inundada em meio a mágoas, e afogando o meu amor junto

Todo o céu havia caído sobre minha cabeça

Tudo que eu tinha como ‘certo’, vi me escapar por entre os dedos.


Naquele dia você havia ido embora, sem se preocupar em dizer ‘adeus’.

Naquele dia você havia me transformado em uma tatuagem preta

Naquele dia você sentenciou todo e qualquer hoje!



[ Por Lorena Pereira ]

Twitter

Selos

Selos
Obrigada especial ao Luiz!

Obrigada especial à Camila!

Obrigada especial à Tatinha!

Obrigada especial à Patrícia C.

Obrigada especial à Sammy!

Sammy!

Sammy!

Obrigada Especial à Gii!

Obrigada especial à Fran!